Você está visualizando atualmente SÉRIE ALIANÇA – Parte 3 – Aliança e Ministério

SÉRIE ALIANÇA – Parte 3 – Aliança e Ministério

Introdução

A palavra grega usada por Paulo em I Co 4.2 (despenseiros) é oikonomos, de onde vem a nossa palavra mordomo. O Cristão é um despenseiro, aquele que toma conta da casa do seu senhor. De acordo com a filosofia dos gregos e a sabedoria do mundo, as pessoas valorizam o sucesso e a popularidade, mas Deus requer dos despenseiros fidelidade.

Escritura

I Coríntios 4.2-3 / João 13.35 / 2 Samuel 13.20-21 / 2 Samuel 13.28

Quebra-gelo

Alguém já quebrou aliança com você? Qual foi o seu sentimento?

Pensamento inicial

No dia em que formos prestar contas da nossa vida ministerial, o que Deus vai pesar não é o critério do sucesso, nem o da popularidade, mas o critério da fidelidade. Fidelidade ao Senhor, fidelidade à missão e fidelidade aos irmãos.

Discussão bíblica

Leia I Co 4.2.  Ao ler esse versículo o que você entende que Deus requer de nós?

Em I Co 4.3b “…pois quem me julga é o Senhor.”Os filósofos gregos e romanos (Platão e Sêneca, por exemplo) consideravam a consciência como o juiz máximo do homem. Para Paulo, apenas Deus pode sê-lo. O nosso supremo juiz não é a nossa consciência. Podemos ser aprovados pela nossa consciência e reprovados por Deus. A única base de avaliação é a palavra de Deus e não nossas opiniões, ou “experiências”. Ante ao exposto, o que um Cristão deve ter por base para ratificar a sua aliança, fidelidade ao Senhor, aos irmãos e ao ministério local?

Aplicação na vida

O estágio de quebra de aliança não ocorre de repente. É um processo. Primeiro estágio: O estágio da independência é tão sutil que a maioria das pessoas não o reconhece pelo que ele verdadeiramente é. Em 2 Samue13.20-21 Davi deseja a paz com Abner. Porém, o independente Joabe toma uma decisão diferente do rei Davi (2 Samue13.26-27). Tomar uma decisão diferente a do líder, você ver como quebra de aliança? Esse tipo de decisão tem consequências? Segundo estágio: O estágio da ofensa. Jesus disse: Mt 24.10 “Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão.” O espírito da ofensa abre a porta para o espírito da traição. Terceiro estágio: Passividade. Quando alguém está no estágio da passividade, não se envolve em muita coisa. Como dizem, é o expectador que vê que o trabalhador está cavando uma trincheira torta. Absalão, passou por esse estágio de passividade. Amnom havia estuprado a irmã de Absalão, Tamar. Absalão estava sem dúvida com raiva de seu meio-irmão, mas não falou nada por dois anos inteiros. Isso é passividade! Leia 2 Samuel 13.28. Quarto estágio: O crítico. Uma pessoa que quebra aliança, desleal não fica passiva para sempre; ela avança para o próximo estágio: o de tornar-se crítica. Na igreja, ela encontra falhas em tudo. Miriã se tornou crítica de Moisés. Ela acompanhou sua liderança desde a saída do Egito, mas depois começou a enxergar as falhas e a natureza humana de Moisés (Nm 12.1). Na prática o que você percebe com a quebra de aliança de acordo com os textos acima?

O ministério deve operar com o poder do amor, da unidade e do trabalho em equipe. Ao ler João 13.35 o que mais chama a sua atenção?

Desafio

Jesus cumpriu a sua aliança com o Pai, com os discípulos e consequentemente conosco.  (Filipenses 2. 7-8). Assim, devemos fazer o mesmo. Devemos continuar a cumprir a aliança uns com os outros, com a igreja local, com a nossa liderança. Viva debaixo de aliança e as bênçãos, o favor do Senhor serão superabundantes sobre a sua vida. Não foi fácil para Cristo cumprir a aliança, porém Ele foi fiel até fim. Não desista das alianças estabelecidas. Persevere até o fim, pois verdadeiramente o que importa é como as coisas terminam e não como iniciam.

Alvo de oração: Ore por seus pastores, líderes de células e anfitriões, observe se necessitam de algo e tenha atitudes para com eles. Demonstre com atitudes a sua aliança.

Pr. Jennison Fernandes Igreja Batista do Amor.

Deixe um comentário