Você está visualizando atualmente ELE NOS DEU VIDA!

ELE NOS DEU VIDA!

No domingo, celebramos a Ceia do Senhor! E quando esta foi instituída por Jesus, Ele disse: “fazei isto em memória de mim”. Por isso, é um memorial, um relato de memórias de algo relevante que aconteceu, do qual não podemos nos esquecer: Jesus morreu!

A Ceia não é apenas uma lembrança “do que aconteceu”, mas, especialmente, uma lembrança “do porquê aconteceu”. Não podemos nos esquecer do motivo pelo qual Jesus morreu:

  • Ele não morreu por uma ideologia, nem para se tornar um mártir;
  • Ele não morreu para tirar onda de herói, nem tampouco para ser um libertador político.

Jesus morreu única e exclusivamente pelos nossos pecados! (I Co 15.3) e se tornou o salvador do mundo (Is 43.11 e At 4.12).

è Sim, “pois, todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3.23)

è Sim, “porque o salário do pecado é a morte” (Rm 6.23)

è Sim, “porque a pessoa que pecar, essa morrerá” (Ez 18.20)

Jesus morreu a nossa morte, porque em Adão, todos nós morremos (I Co 15.22). Foi uma morte vicária, um sacrifício substitutivo.

A Expiação é o ato pelo qual o pecado é cancelado, apagado. E o seu propósito é purificar o pecador. A Propiciação é o ato pelo qual Deus se torna propício, favorável, compadecido. E o seu propósito é satisfazer a santa justiça de Deus.

Reflexão: Leia Isaías 53.5; I Pedro 3.18 e II Coríntios 5.21 e compartilhe o sentido destes versículos na sua vida.

Jesus é a porta para a salvação! Em João 10, Jesus é o Bom Pastor. Ali, a primeira declaração dEle foi: “Eu sou a porta”. Ao passarmos pela “Porta”, recebemos vida e somos salvos. Ao entrarmos no rebanho e sairmos para a pastagem, desfrutamos vida abundante nos pastos verdejantes do Senhor.

Se o ladrão vem senão para matar, roubar e destruir, Jesus veio para nos dar vida e vida em abundância (João 10.10). Jesus não apenas deu sua vida por nós, mas também dá sua vida para nós a cada dia! Ele não apenas nos poupou da morte, mas, também, nos deu vida.

Sem Cristo, o homem apenas existe. Está vivo (alma vivente), mas não vivificado (espírito vivificante). Subsiste, mas não vive com propósito. “Ele lhes deu vida, quando vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados” (Ef 2.1)

Que vida é esta?

# Livre do pavor da morte (Hb 2.14,15)

# Assentada nos lugares celestiais (Ef 2.4-6) # Eterna (Jo 3.16 e Jo 17.3, I Jo 5.11)

Conclusão: Só tem vida quem crê no Filho (Jo 3.36), quem tem o Filho (I Jo 5.12), quem tem parte com o Filho (Jo 6.53). Você já nasceu de novo? E você já está vivendo uma vida abundante?

Pr. Ricardo Arturo Tatis Batista – Igreja Batista do Amor.

Deixe um comentário