Você está visualizando atualmente ‘NÃO FAÇA DOS SEUS PROBLEMAS UM PROBLEMA’

‘NÃO FAÇA DOS SEUS PROBLEMAS UM PROBLEMA’

Versículo chave: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).

Introdução: Jesus falava com seus discípulos sobre a missão do Consolador e, no final do Capítulo 16, deixa palavras de despedida, pois, estava prestes a morrer, ressuscitar e ir para o Pai. Porém, sabendo as aflições que os Seus iriam passar, encoraja-os e prepara-os para enfrentar estes momentos difíceis.

Contextualizando: Todos nós passamos por lutas, dificuldades e aflições, que muitas vezes passam a ser problemas. Davi disse: “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra” (Sl 34.19). Paulo disse: “Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo” (II Co 1.5). Ou seja, as aflições existem e não são poucas.

Reflexão: Se é inerente à vida, ninguém se torna menos cristão por ter problemas. Você consegue se ver no seguinte esquema de Paulo, baseado em II Co 4.7-10):

Em tudo somos, ATRIBULADOS (atormentados), porém não ANGUSTIADOS (gde ansiedade) PERPLEXOS (espantados), porém não DESANIMADOS (perdeu a energia)

PERSEGUIDOS (importunados), porém não DESAMPARADOS (abandonados) ABATIDOS (abalados), porém não DESTRUÍDOS (demolidos)”

A nossa fé não nega a realidade; ela a transforma. Mas, a fé fala, por isso, devemos verbalizar, declarar a Palavra de Deus, para transformar as tristes realidades que enfrentamos. Temos “o mesmo espírito da fé […] Eu cri; por isso, é que falei”. Como Deus não tem compromisso com os fatos e, sim, com a Sua Palavra, não devemos fugir da realidade. Ele tem interesse que a enfrentemos e a vençamos!

Reflexão: Alegoricamente, o problema que enfrentamos é um ‘buraco’. A primeira ‘lei do buraco’ é: pare de cavar!

Na prática, o que você percebe ser esta ‘escavação’ que faz dos seus problemas um problema?

Uma chave de Jesus: no mundo temos aflições; em Cristo temos paz. A palavra ‘paz’, no original, tem o seguinte sentido: ‘estar de posse dos recursos de que precisamos’. Então, a sabedoria está não em perguntarmos o porquê, mas, o para quê. Para que estamos passando por aflição?

  1. Para aprendermos com o sofrimento: Aprendemos uma lição (experiência), a obedecer e, principalmente, a depender. Leia Hebreus 5.8,9.
  2. Para exercitarmos a fé: Olharemos para a aflição e diremos: ‘Problema ou Oportunidade?’. Será uma oportunidade de se manifestar a glória de Deus. A fé traz coragem e como disse Billy Graham: ‘A fé é contagiosa. Quando um homem corajoso assume uma posição, os demais se aprumam’.
  3. Para glorificarmos a Deus: Abraão “não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus” (Rm 4.20). Ou, o crente murmura e volta para o fim da fila, ou, glorifica dizendo ‘eia’ e sobe para possuir a terra.

A questão não é o que iremos encontrar no mundo, mas o que o mundo irá encontrar em nós.

Conclusão: Não faça dos seus problemas um problema. Lembre-se dos 3 R’s: Realidade – No mundo passais por aflições; Resposta – Tende bom ânimo (literalmente, ‘aguentem firmes’) – Resultado – Eu venci o mundo. Como você pode aplicar na prática este esquema? Há alguma área de sua vida em que você vê claramente este princípio se aplicar?

Pastor Ricardo Arturo Tatis Batista – Igreja Batista do Amor

Deixe um comentário