Você está visualizando atualmente MEU TESTEMUNHO CONTRIBRUI COM A MISSÃO E A MINHA OBEDIÊNCIA FORMA NOVOS DISCÍPILOS.

MEU TESTEMUNHO CONTRIBRUI COM A MISSÃO E A MINHA OBEDIÊNCIA FORMA NOVOS DISCÍPILOS.

Ideia Central

Após termos crido no Senhor Jesus, aceitado Seu sacrifício na cruz pela remissão dos nossos pecados e na Sua obra redentora e salvadora, recebemos Dele dois comandos: sermos Suas testemunhas e fazer discípulos.

Escritura

Atos 1:8  | Atos: 26: 13-18  | Mateus 28:19

Quebra-gelo: Livre

  1. Qual a situação mais curiosa/engraçada/inusitada (e compartilhável) que você já testemunhou? Pensamento inicial
  2. Fomos salvos, feitos novas criaturas, passamos a ser co-herdeiros com Cristo e com o isso o direito de morar eternamente no céu, com o Rei dos Reis, porém, até este grande dia chegar, ainda continuamos nesse mundo, vivemos ainda como forasteiros nesta Terra e fomos convidados e comissionados para sermos participantes de uma grande missão, a maior de todas: saquear o inferno e povoar o céu.

Aplicação Bíblica

  • Ao lermos Atos 26:16-18 temos clareza acerca daquilo que devemos testemunhar e com qual finalidade, compartilhem. O que devemos testemunhar e por qual motivo?
  • Qual a diferença entre seguidor de Jesus e testemunha de Jesus? Aplicação na vida
  • Comente a seguinte citação: O testemunho do cristão é uma das formas mais efetivas de se pregar o Evangelho e “fazer missão”.
  • Somos cartas vivas em que as pessoas têm a oportunidade de conhecer a Cristo. Quando for possível ou preciso, devemos usar a Bíblia para pregar, mas não sendo, devemos usar o nosso testemunho e a nossa própria vida.
  • Nosso modo de viver, nossos comportamentos e atitudes expressam e manifestam Cristo e contribuem com a grande missão do Pai, de salvar os perdidos? Quando faço um balanço da minha vida cristã e da minha condição de testemunha de Jesus, tenho colaborado, atrapallhado ou ficado alheio/neutro a tudo que está acontecendo à minha volta?
  • O amor do Pai manifestado a nós, quando ainda éramos pecadores, ao ponto de enviar Seu único filho para morrer em nosso lugar deve nos constranger, não no sentido de nos envergonhar, mas no sentido de nos impulsionar para compartilharmos tudo que temos visto e ouvido, no sentido de anunciarmos a Palavra da Salvação à todos os homens.
  • “Não podemos nos envergonhar do Evangelho, sabe por quê? Porque:

O céu sabe que em nós há poder e quer que nós o usemos.

O inferno sabe que em nós há poder e quer que o esqueçamos.

O mundo sabe que em nós há poder e nos procura para receber alívio.

  1. Devemos supervalorizar o Evangelho, ao ponto que ele se torne superior à nossa própria vida. William Carey, disse certa vez: “Meu negócio é falar de Jesus e concerto sapatos para pagar as contas.” Comentem a respeito.
  2. Devemos estar atentos aos pequenos gestos com grandes significados espirituais. Às vezes, nossas orações, nossas intercessões, nosso testemunho terão muito mais eficácia, do que se estivéssemos participando de um grande ajuntamento de pessoas e ou um grande evento. Não se importe com a quantidade dos frutos, mas sim com a qualidade deles e de suas sementes, que terão potencial para produzir, grandes quantidades no tempo oportuno.
  3. Por fim, que sejamos humildes como Jesus. missão e evangelização não são apenas para os mais sabidos, inteligentes e entendidos e sim para as pessoas simples, humildes de coração e que “caem na graça” do povo, que são exemplos no trato, na educação, no respeito. Pessoas que manifestam o fruto do Espírito Santo. Se o crente estiver cheio de Deus, ele estará vazio de si mesmo e transbordará do evangelho. Não há como glorificar a Deus exaltando-se a si mesmo porque Deus não divide a sua glória com ninguém.

Desafio/Conclusão

Aprendemos com o Senhor que: a) como TESTEMUNHAS nosso papel e obrigação é falarmos de tudo que temos visto e ouvido acerca de Jesus e todos os seus grandes feitos, em nós e através de nós. b) como DISCÍPULOS somos chamados a reconhecer a soberania de JESUS, negar a nós mesmo, tomar a nossa cruz e segui-lo, de modo a manifestarmos um modelo de vida cristã que agrada o Pai. C) E como DISCIPULADORES somos chamados para ajudar a consolidar a Palavra da Salvação no coração daqueles que estão sendo acrescentados, ajudá-los, enconrá-los, ensiná-los, até que eles saiam da condição de salvos e testemunhas, para se tornarem verdadeiros discípulos e futuros discipuladores. Estamos orando por 5 pessoas. Vamos durante essa semana testemunhar do que Deus já fez e faz nas nossas vidas para essas pessoas.

Thiago Frank Mendes – Igreja Batista do Amor

Deixe um comentário