Você está visualizando atualmente MÃE, QUE AMOR É ESSE?

MÃE, QUE AMOR É ESSE?

“Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti” (Is 49:15)


Introdução: Ao contemplarmos o amor materno, temos a sensação de não haver amor maior. Quer seja pela abnegação, pelo cuidado, ou pela intensidade com que uma mãe expressa o seu amor, ficamos a perguntar: Que amor é esse? É a figura humana mais emblemática do amor. Sempre estará pronta a proteger seus filhos, assim como a galinha que ajunta os seus pintinhos, debaixo de suas asas.


🡺 QUEBRA GELO: “Mãe é mãe!”. Conte uma situação em que você ficou ‘envergonhado’ com o cuidado de sua mãe, em público, mas que, depois, você reconheceu a doçura do seu carinhoso gesto.


Para termos uma pequena noção do grande amor de Deus, a Bíblia mostra o amor de uma mãe consoladora: “Como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei […]” (Is 66:13a); o amor de uma mãe rejeitada: “[…] Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não o quisestes!” (Mt 23:37b); e o amor de uma mãe atenciosa: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti” (Is 49:15).


🡺 Aprendendo uns com os outros: Em alguns momentos, o amor materno se confunde com o amor “ágape”, incondicional. Compartilhe uma experiência pessoal em que o amor materno se confundiu com o de Deus.
Mesmo na remota hipótese de uma mãe, que amamenta o seu filho, se esquecer dele, o Senhor não se esquecerá dos seus. Não há amor maior, não há amor igual! “Mas Deus prova seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Rm 5.8). Esta é a maior prova deste amor, pois Ele não nos amou pelos nossos méritos, justiça ou bondade. Ele simplesmente escolheu fazê-lo de forma incondicional.


🡺 Falando para crescermos em fé: Uma mãe morreria por seu filho? Um homem morreria por um justo? Mas, você morreria por pecadores? Leia o seguinte versículo: “Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer” (Rm 5.6-7) e, compartilhe qual é o valor que esta Palavra tem para você.


Conclusão: Que o amor de Deus seja derramado em seu coração, através da graça do Senhor. Basta receber e desfrutar de algo incomparável e que não se acaba, mas ecoará por toda eternidade. Que a cada dia, você não tente, simplesmente, entender esse amor ágape de Deus, mas experimentá-lo e, assim, ame mais e mais: “Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (I Jo 4:19). Para as mães: TODA SORTE DE BENÇÃOS E DE VITÓRIAS, EM CRISTO JESUS! FELIZES ‘TODOS OS SEUS DIAS’!

Pr. Ricardo Arturo T. Batista – Igreja Batista do Amor

Deixe um comentário