Você está visualizando atualmente SERMÃO DA MONTANHA: AS BEM-AVENTURANÇAS III

SERMÃO DA MONTANHA: AS BEM-AVENTURANÇAS III

Ideia Central O sermão do monte é uma descrição do caráter do crente, e não um código de ética ou de moral. Ao colocarmos em prática os seus princípios, então veremos o grande reavivamento pelo qual temos orado e anelado.

Escritura Mateus 5.8-12

Perguntas iniciais 1. Como você abençoou alguém recentemente?

Aplicação Bíblica 2. Ao ler Mateus 5.1-12 qual o seu entendimento sobre a felicidade (bem-aventurado)?

Aplicação na vida

3. BEM-AVENTURADOS OS PUROS DE CORAÇÃO (5.8) Essa bem-aventurança aborda a essência da vida cristã. Esse é o alvo final da vida: ver a Deus. Todavia, onde a pureza deve ser cultivada? Jesus se refere à pureza interior, a qualidade daqueles que foram purificados da imundície moral, em oposição à imundície cerimonial. Jesus está afirmando que a pureza deve penetrar em todos os corredores da nossa vida: nossos pensamentos, emoções, motivações, desejos e vontade. Pureza refere-se aos íntegros, livres da tirania de um EU dividido. O coração limpo é o coração que não está dividido. Significa, também, destituído de contaminação. É um coração sem mácula, puro, íntegro, sem mescla. Os que tiveram o seu coração purificado por Cristo verão a Deus. Há uma recompensa. Mais do que tesouros, mais do que glórias humanas, nossa maior recompensa é Deus. Ele é melhor do que toda as suas dádivas, presentes e bênçãos. Ele é a nossa herança, a nossa recompensa. Teremos a Deus, veremos a Deus, por toda a eternidade! O seu coração já foi purificado por Cristo? O que fazer para não tê-lo dividido?

4. BEM-AVENTURADOS OS PACIFICADORES (5.9). As escrituras começam com paz no jardim do Éden e terminam com paz na eternidade. O pecado do homem interrompeu a paz no Éden. Na cruz, Cristo se tornou a nossa paz e um dia Ele, o Príncipe da Paz, virá para estabelecer plenamente o seu reino eterno de paz. A paz é muito mais do que a ausência de conflitos. É a presença da justiça que produz relacionamentos verdadeiros. A paz derruba o muro da inimizade e constrói, sobre o abismo do ódio, a ponte da reconciliação. O PACIFICADOR está em paz com Deus, anuncia o evangelho da paz, tem o ministério da reconciliação e é um embaixador de Deus, rogando aos homens que se reconciliem com Ele (2Co 5.18-20). Como você reage em meio ao conflito?

5. BEM-AVENTURADOS OS PERSEGUIDOS POR CAUSA DA JUSTIÇA (5.10-12) Jesus termina as bem-aventuranças dizendo que o mais elevado grau de felicidade está ligado à perseguição. Perseguição e felicidade parecem-nos coisas mutuamente excludentes. Obviamente não são felizes todos os perseguidos, mas os perseguidos por causa da justiça oriunda de Deus. A perseguição aos Cristãos é desde o início. Foram perseguições que armas e palavras. Cristo foi torturado, morto em uma cruz. Os primeiros cristãos foram perseguidos e expulsos de Jerusalém. Crentes eram jogados aos leões esfaimados da Líbia. Outros eram queimados na fogueira. Os crentes eram untados com resina e depois incendiados vivos para iluminar os jardins de Roma. A perseguição é simplesmente o conflito entre dois sistemas de valores irreconciliáveis. Não é a nós que o mundo odeia primariamente, mas à verdade que representamos. O mundo está atrás de cristo, é a ele que o mundo ainda está tentando matar. O comunismo e o nazismo levou milhões de crentes ao martírio no século 20. Como devemos enfrentar essa perseguição? Com profunda alegria! Não devemos buscar a vingança como o incrédulo, nem ficar de mau humor como uma criança embirrada, nem lambendo nossa própria ferida cheios de autopiedade, nem negar a dor como os estoicos, muito menos gostar de sofrer como os masoquistas. As palavras usadas por Jesus descrevem uma alegria intensa, maiúscula, superlativa, absoluta. O que é necessário para suportar a perseguição por causa da fé? Você está preparado para a perseguição?

Conclusão/Desafio: É importante fazer uma PAUSA NO FIM DE SEU DIA e começar a meditar sobre si mesmo, repassando rapidamente os acontecimentos do dia e indagando: “O que fiz? O que disse? O que pensei? Como foi que me conduzi no tocante a meus semelhantes?” Faça essa reflexão e alinhe com o descrito no que estamos aprendendo.

Pastor Jennison César Fernandes – Igreja Batista do Amor

Deixe um comentário