Você está visualizando atualmente GUARDA O CORAÇÃO – Parte 2

GUARDA O CORAÇÃO – Parte 2

Versículo chave: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é […]” (Pv 23.7a)

Introdução: Domingo passado, concluímos esta mensagem destacando que a palavra coração, na Bíblia, denota a sede dos sentimentos e impulsos do homem. É a sede de nossas emoções. É ali que se processa e se materializa a nossa autoimagem. Por isso, devemos cuidar bem do nosso coração, para que não haja distorção da imagem de Cristo em nós (Rm 8.29). Lembre-se: temos a mente de Cristo (I Co 2.16) e a Sua graça imprimiu o Seu caráter em nós. Importante: O seu caráter determina quem você é. Quem você é determina o que você vê. O que você vê determina aquilo que você faz.

Para o homem natural, caráter está associado, apenas, aos traços morais de sua personalidade.

Para o homem espiritual, caráter está associado ao que se tornou em Cristo (II Co 5.17). É o que Deus diz a seu respeito! “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais” (Jr 29.11). Enquanto, reputação é o que os homens dizem a seu respeito.

REPUTAÇÃO x CARÁTER – ADÃO X CRISTO – JUSTIÇA PRÓPRIA X JUSTIÇA DA FÉ – MÉRITO X GRAÇA.

Quando não cuidamos do coração, da nossa alma, trazemos imagens distorcidas de nós mesmos, segundo a carne, e conforme imaginamos, assim nos tornamos. Nós nascemos de novo, nascemos da água e do Espírito; temos um novo coração e, agora, não conhecemos (imaginamos) mais ninguém segundo a percepção humana. “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo” (II Co 5.16). Leia também Romanos 12.2.

Cuidado com os extremos! Viver aquém da imagem que graciosamente o Pai nos deu é mediocridade, porém, viver além disso é orgulho. “Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém […]” (Rm 12.3a). Leia II Coríntios 3.4,5. Alguns, confiando em si mesmos, foram soberbos e caíram:

  • Sou forte (Sansão) “Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei (Jz 16.20)
  • Sou religioso (Paulo) “Bem que eu poderia confiar também na carne…” (Fp 3.4)
  • Sou leal (Pedro) “Estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte” (Lc 22.33)
  • Sou o maior (discípulos) “Levantou-se entre eles uma discussão s/ qual deles seria o maior” (Lc 9.46)

Cuidado com as 3 Feras do Coração (Autossuficiente): (1) IRA (2) SEXUALIDADE               (3) AVAREZA.

Estou em crise! As crises não formam necessariamente o caráter, mas certamente o revelam. Sempre haverá uma escolha: caráter ou concessão. Portanto, a crise pode ser usada para sairmos da zona de conforto, que nos levaria a uma rota de colisão. Lembre-se de que, dando causa ou não, enfrentaremos a tentação nos “desertos da vida”. E o tentador, o diabo, buscará tirar o pior de nós (do coração). Por outro lado, para crescermos, Deus permite que passemos por provas, a fim de que Ele extraia o melhor de nós (do coração).

Como guardar o coração?

  1. Guardando no coração as palavras do Senhor, para não pecar contra Ele” (Sl 119.11).
  2. Tirando do bom tesouro do coração coisas boas, o bem e não o mal; falando (Lc 6.45). 
  3. Confiando no amor dEle (Deus é maior do que o nosso coração (I Jo 3.19-21).

Conclusão: Renuncie à justiça própria, pois é uma forma de dizer: no lugar de Deus eu faria diferente. Ouça o seu coração, somente se ele estiver ouvindo o coração do Pai. “Acima de tudo, meu filho, cuide bem do seu coração porque dele depende toda a sua vida” (Pv 4.23 – NBV-P). Compartilhe: Como está o seu coração? Está em algum dos extremos perigosos? Este ensino o edificou? Qual a aplicação prática deste em sua vida?

Pr. Ricardo Arturo Tatis BatistaIgreja Batista do Amor

Deixe um comentário