Você está visualizando atualmente O PODER DO PERDÃO

O PODER DO PERDÃO

O PODER DO PERDÃO (Assepsia da alma)

Texto base: Efésios 4:31-32

Introdução: Atualmente, muitas pessoas por não praticarem o perdão ensinado por Jesus, se encontram angustiadas e presas a um passado mal resolvido. A ausência do perdão gera um turbilhão de sentimentos nocivos à nossa saúde espiritual. O apóstolo Paulo nos alerta dizendo: “Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria […] Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo vos perdoou” (Ef 4:31-32). O perdão é a assepsia da alma; é como espremer o pus da nossa ferida; a cura eficaz para nossas emoções e, evidentemente, um atributo inerente à natureza da família de Deus (Cl 3.13).

1. Aspectos do Perdão: O ato de perdoar deve ser uma prática comum e constante no convívio da vida cristã. É um ato de fé. Uma decisão consciente advinda de uma completa submissão à palavra de Deus. Perdão não é o mesmo que se esquecer da ofensa sofrida; não é um lapso de amnésia. No entanto, é a capacidade de não levar mais em conta o que ficou pra trás. É lembrar sem sentir dor. Perdoar não é o mesmo que confiança, pois confiança se conquista, mas perdão se libera. Também, não é o mesmo que um simples pedido de desculpas, o qual geralmente vem acompanhado de argumentos e justificativas, mas perdão é uma expressão de graça, amor e misericórdia.

Compartilhando: Como discípulos, mesmo diante de grandes ofensas devemos perdoar? (Lc 23:34).

2. Quando não perdoamos: Devemos ter plena consciência de que, quando não praticamos o perdão, estamos atraindo graves consequências e prejudicando a nós mesmos. A bíblia nos alerta: Quando não vivemos o perdão, não podemos prosseguir em oração (Mc 11:25.26); não podemos ofertar ao Senhor (Mt 5:23-24); e não recebemos o perdão de Deus (Mt 6:13-15). Não perdoar, é dizer adeus a todo sentimento de alegria e paz; é como destruir pontes pelas quais um dia precisaremos passar; é alimentar a alma com um propenso desejo de vingança. Mas, Paulo diz: “Não torneis a ninguém mal por mal” (Rm 12:17a). Portanto, todo cristão deve trilhar o caminho do perdão e, principalmente, seguir o exemplo deixado por Jesus: “quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente” (1 Pe 2:23).

Compartilhando: Se o meu irmão, por diversas vezes, cometer o mesmo erro contra mim, devo perdoá-lo? (Mt 18:21-22)

3. Perdão. Um propósito Divino: O amor e o perdão de Deus sustentam o universo. Sem tais atributos, nem estaríamos aqui para contar história. Todos nós éramos culpados e tínhamos uma grande dívida, mas fomos amados e perdoados por Deus, o qual nos livrou da condenação eterna através do sacrifício substitutivo (Cl 2:13-14). O perdão é um dos propósitos divinos para o qual fomos comissionados: “Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês […] Recebam o Espírito Santo. Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados” (Jo 20:21-23). Por mais que alguns insistam em dizer “eu não consigo perdoar”, sabemos que o próprio Deus, mediante o Espírito Santo, nos capacita a vivermos o perdão. Uma poderosa chave de reconciliação e solidez para os nossos relacionamentos. “Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se. Você quer ser feliz para sempre? Perdoe” (Tertuliano).

Conclusão: A partir do momento em que não estou disposto a perdoar e nem pedir perdão, preciso fazer três importantes perguntas: Sou realmente um cristão? Se a resposta for sim, devo perguntar-me novamente: Jesus, além de salvador é também o meu Senhor? Quanto a esta pergunta, Jesus diz: “Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?” (Lc 6:46). E por fim, devo indagar a mim mesmo: Eu amo a Deus? Para tal questionamento, Jesus afirma: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama” (Jo 14:21). Que possamos aplicar a verdade da Palavra de Deus em nosso viver e, sem receio, afirmar: Sou cristão, amo a Deus e Ele é o meu Senhor. Por isso, guardo os seus mandamentos e obedeço sua voz que me ensina a perdoar.

Pr. Douglas PantaIgreja Batista do Amor

Deixe um comentário