Você está visualizando atualmente O DIA DA VERDADE

O DIA DA VERDADE

Texto base: “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32)

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36)

Introdução: Na segunda parte de João, capítulo 8, Jesus defende a sua missão e autoridade. Essencialmente Ele diz que seu testemunho é verdadeiro, o que tem falado é a verdade, pois Aquele que O enviou é verdadeiro. Mas, os religiosos daquela época “pegaram em pedras para atirarem nele”, pois tinham sua própria “verdade”, cá de baixo, deste mundo; puro engano. A mentira e o engano estão ligados ao homem sem Deus, àquele que ainda não conheceu a Verdade, Cristo Jesus! O homem caído criou até um dia para celebrar a mentira, o jeito de se livrar das consequências de seus atos, contudo, cada vez mais se aprisiona nas trevas. Quando conhecemos a Verdade, as trevas que nos cegam e nos acorrentam são desfeitas e, então, somos perdoados e vivemos de verdade. Vejamos algumas mentiras que o Diabo, o pai da mentira (João 8.44), lança sobre os homens:

  1. É certo que não morrereis (Gênesis 3.4): desde o princípio Satanás foi homicida e não se firmou na verdade. Por isso, através do engano, o seu intento é o de matar, roubar e destruir (João 10.10a). Como uma serpente sagaz, o Diabo enganou Eva, dizendo que a desobediência dela não lhe custaria nada, que ela não morreria se pecasse. Engano! A Bíblia diz que “… a alma que pecar, essa morrerá” (Ezequiel 18.4b).
  • Vale a pena: Em I Coríntios 15.32, Paulo nos alerta dizendo que se não houvesse vida após a morte, ou seja, ressurreição em Cristo Jesus, então poderíamos satisfazer as paixões da carne (comer e beber), porque amanhã tudo acaba, sem prestação de contas. Em outras palavras, ele nos alerta para a estratégia do inimigo que mente dizendo que vale a pena pecar, pois não haverá consequências. A Bíblia diz “porque o salário do pecado é a morte…” (Romanos 6.23a).
  • É prazeroso: Em Gálatas 5, há o rol das obras da carne; aquelas que satisfazem nossas concupiscências, não os nossos prazeres puros, mas aqueles descontrolados, insanos, egoístas, exagerados. São subprodutos da alma corrompida pelo pecado. Se fosse tão prazeroso assim, não traria culpa, não seria usufruído às ocultas, não traria ressaca, não traria tristeza posterior. A Bíblia diz que “… não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam” (Gálatas 5.21b).

Comente: Quais foram as mentiras tidas como verdadeiras por você e que lhe aprisionavam? Como foi o seu dia da Verdade?

Comente: A antiga serpente já tentou lhe enganar dizendo que o Senhor se esqueceu de você? (Leia Isaías 49.15)

Conclusão: O dia da verdade para nós é o dia em que Cristo entra em nossa história para transformá-la, nos libertando do império das trevas (do engano) e nos transportando para o reino do Filho do Seu amor (Colossenses 1.13). O dia da verdade para nós se dá quando deixamos de ouvir a voz do pai da mentira que diz: “Não tem mais jeito pra você” e passamos a ouvir a voz do Pai Celeste que diz: “… mas onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Romanos 5.20). Este é dia que o Senhor fez, para que toda a mentira a respeito de sua família caísse por terra! Aonde não havia esperança por causa do engano, agora, a Palavra, que é a verdade, diz: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (Atos 16.31).

Pr. Ricardo Arturo Tatis Batista – Igreja Batista do Amor

Deixe um comentário